Minha empresa na era dos games

Olá tudo bem?

Se é sua primeira vez aqui na minha coluna, você também precisa dar uma olhadinha nos meus outros artigos sobre esse incrível mundo dos games, tenho falado sobre diversos assuntos relacionados ao mercado de games. Acesse lá.

Hoje quero bater um papo sobre o mundo dos games, mas numa perspectiva “publicitária”, ai você me pergunta, qual a utilidade dos “games” / jogos digitais para as empresas? E eu te respondo, existe um termo que foi criado no ano de 2000, chamado “Advergame”! Essa palavra é uma junção de “Advertise” + “Game” e pode ser traduzida como “Jogos Publicitários”.

Conforme a evolução do acesso a internet e a facilidade que foi chegando para os desenvolvedores, pequenos estúdios e produtoras de jogos tem tornado os Advergames cada vez mais conhecidos.

Como já escrevi em outro artigo, o mercado de games vem ganhando proporções gigantescas principalmente no Brasil, é um mercado promissor que já gera bilhões por ano. Embora os Advergames ainda não são muito explorados em muitas empresas, o mercado tradicional de jogos tem seu espaço muito bem fortalecido e atrai muitos novos jogadores a cada segundo.

Muitas empresas ainda não entraram completamente na era digital. Hoje muitos acreditam que apenas redes sociais, sites, e-commerce, aplicativos já são suficientes para promover suas marcas e/ou produtos. Porém esquecem que grande parte de seus clientes também estão horas com um celular na mão jogando, não só clientes diretos, mas indiretos também, como filhos por exemplo!

Você já parou para pensar quantas horas uma pessoa se “envolve” em um jogo e quantos segundos ela “olha” para um outdoor? Pois é, além de custos talvez mais acessíveis (depende do jogo e claro a avaliação de ROI), a forma de envolvimento e exposição de uma marca se torna muito mais natural dentro de um jogo.

Em mídias impressas ou até televisivas, é muito comum que as pessoas já estejam “armadas” ao se depararem com a exposição de algum produto, promoção, marca etc. Tendo já uma barreira natural a ser quebrada, quando transpomos isso para um game, é possível de uma forma mais natural e orgânica expor o produto, marca, promoção ao jogador sem que ele esteja “armado”, criando até um envolvimento e mensagens subliminares muito mais efetivas.

Calma lá, nessa altura você deve estar achando que estou falando mau da publicidade “impressa”, mas não é bem por ai, estou apenas sugerindo a exploração de uma nova tendência para o mercado publicitário que está em um crescimento incrível e seu negócio não pode ficar de fora!

Claro que Agências de Publicidade já estão preparadas para esse assunto, mas essa reflexão é com você, que tem uma empresa e ainda nem imaginou ver o seu negócio dentro de um jogo, ou você pensa que pode ser “besteira”, “sem sentido”, “infantil”, “coisa de criança” esse tipo de estratégia.

“Mas Thiago, isso quer dizer que eu preciso produzir um jogo para minha empresa?” → Não necessariamente, ter um jogo do seu negócio pode ser uma experiência muito melhor e mais direta, porém se não quiser produzir um game, você pode patrocinar, ou apoiar jogos que atraem o mesmo “público target” do seu negócio! E assim ter sua marca exposta também para esses possíveis clientes.

Jogos independentes no Brasil estão em mega expansão e existem diversas categorias, com certeza algum deles atrai um público que você precisa. Algumas empresas já exploraram essa “ferramenta” e fizeram cases de sucesso!

Vou citar apenas alguns casos para o texto não ficar muito longo, mas você pode encontrar facilmente no Google procurando por “Advergames”

Coca Cola Shake It (lançada em Hong Kong)

Jogadores foram convidados a baixarem o game e durante o jogo ganhavam descontos ou brindes. Milhares de pessoas interagiram com o game.

Duolingo (Plataforma para aprender Idiomas)

Essa plataforma adotou a estratégia de gamificação, transformaram tarefas cotidianas e elementos em fases desafiadoras com prêmios aos utilizadores, criando um engajamento sensacional. Hoje muitas escolas e professores utilizam a plataforma com seus alunos. Alguns Países tem projetos até para implantar a plataforma na rede pública!

Várias outras empresas/marcas ou produtos/serviços como: Mc Donalds, Pepsi, Starbucks, Cheetos, Energéticos etc. E claro pequenas empresas também utilizam Advergames.

Olha só como pode ser atrativo para seu negócio, vou dar exemplo de alguns tipos de exposição:

Jogos Associativos:
Exposição em cenários, outdoores, placas. Como se fosse uma propaganda no mundo real.

 Jogos Ilustrativos:
Sua marca não somente como visibilidade, mas de forma interativa com o jogador. Sendo um item de jogo, prêmios, patrocínios, promoções.

Jogos Demonstrativos:
Esse é o nível que mais interage com seu cliente. A marca está presente em tempo integral dentro do jogo.

O grande diferencial de se utilizar Advergames, é que você interage com seu cliente ou possível cliente, no momento em que ele está relaxando, totalmente mergulhado no mundo virtual.

Bom acho que agora você não vai mais ver jogos como uma coisa só de “criança”, aliás a maior parte dos jogadores no Brasil estão na faixa de 20 à 45 anos, e gastam em média R$ 300 por mês com jogos. Leia meu artigo sobre o mercado e você vai entender esses números direitinho! Se ficaram dúvidas, ou se quer saber mais, vem comigo!

Fique ligado e me acompanhe nessa jornada!

Me ajude a saber se gostou desse artigo, deixe seu comentário abaixo e bora compartilhar!

Compartilhar conhecimento é viver! 🙂

Me segue lá
Instagram: @thiagobruno.oficial

GitHub: thiagobruno

Linkedin: Thiago Bruno

Posts relacionados

Empreendedorismo

Indie na BGS

Thiago Bruno
Empreendedorismo

Anitta a rainha da mídia!

Maria Olívia
Empreendedorismo

Empreendedorismo ou sacrifício?

Maria Olívia

Cadastre-se e receba novidades e atualizações por e-mail.