Morar fora, o que ninguém conta…

16/07/2019
Lívia Yoshida
Morar fora

O sonho de milhares de pessoas, morar fora do país, viajar, sair da zona de conforto e enfrentar um país novo, uma língua diferente. Sempre foi o meu sonho, sonhei com isso desde os meus 10 anos e contagiei meu marido com esse sonho. E agora, vivendo do outro lado do mundo, penso que poderia ter preparado melhor, mentalmente quero dizer.

Não me entendam mal, eu li livros, assisti vídeos, relatos e sabia o que me esperava, mas nada te prepara para a distância, você sabe que ela vai existir, sabe que graças a tecnologia ela vai ser menos doída, mas ela vai acontecer.

Sua família e amigos continuam a criar e a viver momentos que são marcantes e você não está lá para compartilhar, apoiar e ser presente. Como um observador passivo você assiste, aquela festa de aniversário que você teria ajudado a preparar, aquela viagem que você queria ter feito junto, aquela noite da pizza ou aquele momento da perda de alguém que o seu abraço teria sido importante.

Os seus amigos e familiares vão viver esses momentos, independente de você estar lá ou não, você vai fazer muita falta, com certeza, por um tempo, até não fazer tanta falta assim.

A distância acontece, porque você fez a escolha de ir embora, e com essa decisão você cresce, evolui, muda a sua percepção sobre a sua própria importância. Percebe aqueles que sentem a sua falta e que independente da distância querem compartilhar as novidades e acontecimentos com você.

A decisão de jogar tudo pro alto, e viver o seu sonho de morar fora, também é a decisão de passar a sua vida por uma peneira natural, a distancia te ajuda a filtrar amizade, trabalhos, relacionamentos, e manter consigo apenas o que tem qualidade, o que é real e o que é importante. É dolorido, mas também é gratificante.

É uma escolha, que eu faria novamente com facilidade, mas nem por isso significa que ela é fácil. É algo que você tem que se preparar psicologicamente, e saber que vai acontecer e que não é motivo para você ficar triste ou com raiva, é simplesmente natural, assim como a vida de quem fica segue, a sua também, você conhece pessoas diferentes, amigos novos, vive novas experiências e novas memórias.

Posts relacionados

Social

Intolerância

Gleicy Lima
Social

#A influência dos patrocinadores no Youtube

Natália Aguiar
Social

O Pequeno Príncipe: Um livro para ler e reler

Larissa Narcisa

Cadastre-se e receba novidades e atualizações por e-mail.