UMA MULHER EM PAZ COM O CORPO NÃO QUER GUERRA COM NINGUÉM

Não é?

Talvez você já tenha vivido a guerra de desistir de ir num evento porque nenhuma roupa ficou boa o suficiente. Ou largou o guarda roupas inteiro em cima da cama, para ainda assim sair com a sensação de “menos pior” e ficar a noite toda de péssimo humor distribuindo patadas nas pessoas. Eu já fiz isso muitas vezes e por isso sei que dói. Dói muito.

E sabe mais? Talvez você já tenha vivido essa situação vestindo um 56 ou um 38 pois ter paz com o corpo é uma sensação que independe do número da calça. Ou pelo menos seria bom que fosse independente.

Ter paz com seu corpo é conseguir reconhecer que cada marca dele é parte da sua história, é conseguir se bloquear do que as pessoas dizem sobre beleza “certa” e ‘errada”, é amar o que vê no espelho e amar o que vê quando olha nos seus olhos. E pode não ser tão fácil especialmente se você passou a vida em guerra com seu corpo.

Eu poderia dizer que existe um caminho mágico em 5 passos “fáceis e práticos”. Acontece que estaria mentindo grandão. O caminho não é fácil e nem um pouco prático. É uma construção que requer [muita] boa vontade, o bom é que pode ser mágico. Pode ser mágico se permitir olhar para você mesma de forma mais leve ganhando pequenas batalhas no dia a dia que afirmam estar conquistando a paz com seu corpo. E nesse caminho algumas batalhas são mais importantes e por isso vale a pena se entregar de corpo e alma para vencer. E fazer acontecer até sentir que venceu.

A primeira delas é reconhecer que você fez o seu melhor a cada momento até agora e digo isso com toda certeza do mundo pois você é movida 95% pelo seu inconsciente e ele sempre tem uma intenção positiva, ainda que para o racional pareça se machucar.  O seu inconsciente estava fazendo o melhor de cada momento e de alguma forma te protegendo, então pode começar a se perdoar por todas as vezes que brigou com você mesma, que se xingou, que reclamou ou odiou seu corpo. Tinha uma parte de você pedindo socorro e foi essa parte de você que te trouxe até aqui. Que bom que essa parte de você foi forte o bastante.

A próxima batalha é procurar sua turma de aliados, procure as pessoas que tem o corpo parecido com seu, pessoas reais, que vivem realidades parecidas com a sua e gostam das mesmas coisas que você. Pessoas que choram, tem dores, fazem coco (pois é, isso é real hahaha), brigam, se chateiam. Posso dar um conselho? Limpe suas redes sociais. Pare de tentar se alinhar com o inimigo – que mostra uma realidade surreal e vende essa realidade falsa como se fosse a pílula da felicidade. Olhe para você, olhe para essas pessoas e se pergunte se o que você acredita como vida é o corpo  que você busca achando que traria paz, se realmente esse corpo faria isso. Será que é mesmo esse visual que vai dar essa sensação tão sonhada de ter paz com o corpo? Ou será que o seu ideal é um caminho do meio? Ou simplesmente sentir uma sensação gostosa dentro de você com esse mesmo corpo que já tem hoje? A vida é feita de altos e baixos e ter paz com o corpo também são altos e baixos. Aliás, na vida são os baixos que impulsionam para cima e o equilíbrio absoluto é morte. Vencer essa batalha significa reconhecer se o corpo que você sonha imaginando ter paz é um visual no espelho, um estado emocional ou uma sensação interna. Se esse sonho é alimentado por você ou se é influenciado por outras pessoas. E se essas pessoas realmente importam. Talvez nesse momento você possa parar e só respirar por alguns segundos ou minutos para deixar as fichas caírem.

A última batalha é a mais longa, pois só termina quando deixar de ser uma batalha. É você se amar e cuidar de você como você cuida do que você ama – pessoas, bichinhos, plantas. É se dar carinho, se levar passear, se colocar para descansar, se ouvir, se comunicar consigo mesma, se acolher, se alimentar com comida que nutri o corpo para fazer ele funcionar de forma eficiente com sensações físicas confortáveis. É se declarar amor. Todos os dias, incansavelmente. Até que passe a ser parte da vida e a paz com seu corpo esteja estabelecida pois você passou a ver seu valor, olhar suas emoções e se amar como você é.

Eu nunca disse que seria fácil. Só disse que pode ser mágico. E pode. Só para lembrar, uma mulher em paz com seu corpo não quer guerra com ninguém pois ela está em paz com ela mesma.

Beijos mil amores

Posts relacionados

Gastronomia

Já ouviu falar de Meal Prep? Los geht’s!

Igor Ruiz
Gastronomia

Fondue de Queijo barato e delicioso

Raquel Moraes
Gastronomia

Meu metabolismo é lento, e agora?

Karelin Cavallari

Cadastre-se e receba novidades e atualizações por e-mail.